Danos causados por espécie de besouro se espalham pelo Japão

Danos causados por espécie de besouro se espalham pelo Japão

Do Portal Mie

Os Aromia bungii são pequenos besouros, de até 4cm de comprimento, originários da China e Vietnã. Segundo a Organização de Gerenciamento e Pesquisas Florestais (FFPRI) da cidade de Tsukuba, este besouro possui uma taxa de fecundidade 5 a 10 vezes maior do que as espécies convencionais.

Além disso, como não predadores naturais no Japão, o besouro pode se reproduzir sem problemas. As larvas entram no interior dos troncos de cerejeiras, pessegueiros e ameixeiras, e se alimentam da parte interna por 2 a 3 anos.

Estes cerambicídeos foram encontrados pela primeira vez em 2012. Segundo o FFPRI, esses insetos desenvolveram seus habitats em 7 províncias (Tóquio, Gunma, Tochigi, Saitama, Aichi, Osaka e Tokushima). Os agricultores vinham tomando algumas providências como derrubar as cerejeiras das plantações e outros lugares, mas não foi possível acabar com os besouros.

Na província de Tochigi, 113 pessegueiros de 19 plantações das cidades de Sano e Ashikaga foram devorados pelas larvas do inseto. A província pediu para os agricultores informarem imediatamente as autoridades caso encontrem o besouro.&nbspDanos causados por espécie de besouro se espalham pelo Japão

Na cidade de Soka (Saitama), muitas cerejeiras dos canais da cidade, que são muito visitados pelos residentes nas épocas de “hanami” na primavera, murcharam e muitas árvores simbólicas dessas regiões tiveram que ser desarborizadas por causa dos danos.

Na província de Tokushima, os relatos de danos em pessegueiros de agricultores da região começaram a surgir no ano passado. Segundo a província, dentre as 50 plantações investigadas pelas autoridades, foram confirmados danos em pessegueiros e ameixeiras em pelo menos 35 delas. Por causa disso, a província está tomando as providências de captura das larvas adultas com a ajuda de estudantes de universidades.&nbspDanos causados por espécie de besouro se espalham pelo Japão

Como desarborizar regiões danificadas pelos insetos não resolve a situação, o FFPRI está desenvolvendo um novo inseticida feito a partir dos feromônios dos besouros.

O Ministério do Meio Ambiente pretende proibir por lei a criação de cerambicídeos ao categorizá-los como “espécies exóticas específicas”.

Segundo especialistas do FFPRI, “há a possibilidade de algumas regiões ficarem impossibilitadas de realizarem ‘hanami’ e dos agricultores de pêssego e ameixas sofrerem danos enormes. A situação é de emergência e iremos acelerar o desenvolvimento de novas formas de extermínio.”

O que são os Aromia bungii?

Os Aromia bungii são grandes besouros da família de cerambicídeos. Originários da China e do Vietnã, chegam a medir cerca de 3 a 4cm de comprimento.

Sua primeira aparição foi na província de Aichi, há 5 anos. Os especialistas acreditam que as larvas desses besouros chegaram ao Japão em importações de madeiras desses países por causa de um erro na inspeção. Desde 2008, esse besouro começou a aparecer na Alemanha, Itália e EUA.

Segundo o FFPRI, uma única fêmea dessa espécie consegue gerar mais de 1.000 ovos em toda sua vida.

Essa espécie é muito resistente e consegue sobreviver tanto no clima de monções do norte da China quanto nas temperaturas elevadas do Vietnã. Segundo as autoridades, essa espécie consegue sobreviver em todo o Japão, desde Hokkaido até Okinawa.

Fonte: NHK News

0 Comment